Bob Dylan & Chico Buarque: Prêmios Literários merecidos ou duvidosos?

Gostar ou não de Bob Dylan não é o caso. Eu sempre gostei. Mas daí a concordar com o Nobel de Literatura, em 2016, a um cantor pop, por melhor letrista que ele seja, é, no mínimo, uma incongruência, um disparate, um equívoco. Muitos poetas já ganharam. Todos com livros de poesia publicados. Bob Dylan, não. E, com um único livro de prosa poética, Tarântula, escrito em 1966 e publicado em 1971 e concorrendo com escritores e poetas bem melhores, será que não foi um prêmio político? — aqui faço questão de dizer que há prêmios políticos no bom e no mau sentido. Será que foi pelas posições político-filosóficas do ídolo gauche? Neste caso, ainda se pode ponderar. Mas e se esse Nobel foi com o propósito de buscar polêmica para chamar atenção, de se manter top na grande vitrine do mundo ocidental?

Não esqueçamos de que há uma rivalidade, uma disputa de poder, do Nobel com o Pulitzer, para manter o protagonismo. E, neste caso, como todos sabem, no Mecanismo planetário, no Mercado internacional, na Ordem mundial, vale tudo para vencer. Desde os mais baixos golpes. O Sistema é cruel. Tanto em países capitalistas como em países comunistas. E Bob Dylan? Merecia o prêmio?  Foi cooptado? Foi engolido? Se vendeu? Muitos anos antes, Jean Paul Sartre rejeitou o Nobel. Como atitude política, Marlon Brando não foi receber o Oscar. Mandou uma índia nativa em seu lugar. Não foi tão radical quanto Sartre, mas foi gênio como o filósofo sempre foi. Trouxe para o centro da cena a questão da luta racial, na qual estava engajado. E Chico?  Mereceu ganhar o Prêmio Camões 2019?

bob dylan

Publique seu livro com a Editora Personal.

Assine nossa lista vip para receber dicas sobre escrita criativa e Literatura Brasileira.

Conheça nosso Curso de Escrita. Faça uma consultoria com Cairo Trindade antes de editar seu livro.